Resultados do nosso estudo


Idade dos entrevistados


No início do projecto tínhamos alguns preconceitos, pois achávamos que a maioria dos professores que propõem aos seus alunos projectos reais de tradução teriam uma idade inferior a 40 anos. Ficámos surpreendidos ao descobrir que apenas 43% dos entrevistados faziam parte desta faixa etária específica (20-30 anos : 7%; 30-40 anos: 36%). Apenas 14% dos entrevistados tinham idades compreendidas entre os 40 e 50 anos. Não esperávamos uma grande afluência de um grupo de professores com idades compreendidas entre os 50 e os 60 anos (36%). 7% dos entrevistados tinham mesmo idade superior a 60 anos.


Língua de ensino

Os professores de tradução trabalham normalmente em países em que a sua língua materna é falada. Também tivemos conhecimento de casos de professores que ensinam na sua língua materna mas não nos seus países de origem. Curiosamente, alguns professores também leccionam aulas de tradução numa língua diferente da sua língua materna. Por exemplo, um falante nativo de Inglês também lecciona aulas em Português.
Além disso, numa sala de aula podemos encontrar estudantes oriundos de diversos países com as suas respectivas línguas maternas. Os estudantes não são separados devido às suas línguas maternas. Os estudantes francófonos e anglófonos traduzem textos para francês em conjunto, ajudando-se mutuamente na compreensão do texto de partida e na transferência do sentido para o texto de chegada.


Que pré requisitos têm os professores que propõem projectos reais de tradução?

Será necessário o professor ter sido tradutor independente para poder realizar projectos reais de tradução nas suas aulas? Descobrimos que quase 50% dos professores entrevistados não trabalharam como tradutores independentes.
Não é importante o tipo de textos que são utilizados nos projectos reais de tradução. 50% dos entrevistados leccionam cursos de tradução gerais e especializados.


Critérios para a escolha dos textos.

O tamanho dos textos que vão ser traduzidos pelos alunos parece ser o factor mais importante para os professores. Neste contexto muitos entrevistados mencionaram que, durante o semestre, há sempre falta de tempo. Em comparação com os profissionais, os alunos precisam de mais tempo para traduzir um texto. Trabalhar sob pressão devido aos prazos curtos é a maior dificuldade para alunos e professores durante o decorrer dos projectos reais de tradução.

Quase tão importante como o tamanho do texto é o assunto do documento que os alunos vão traduzir. Quando os alunos estão familiarizados com um certo tema, a sua motivação aumenta. A tradução torna-se mais fácil já que os alunos não necessitam de pesquisar textos de referência sobre esse tema.

O estilo do texto é também importante porque influencia o grau de dificuldade da tradução. A remuneração que os alunos recebem pelo seu trabalho não é relevante para a escolha do texto de um projecto real de tradução. A maioria dos projectos são traduzidos voluntariamente ou por uma boa causa. Se os alunos receberem dinheiro pelo seu trabalho, serão pagos abaixo da tabela de preços estipulada. Nestes casos, o dinheiro pode ser doado a obras de caridade, dividido pelos alunos ou utilizado para comprar equipamento novo para o departamento.

De onde vêm os textos?

Na maioria dos casos, os professores nem sequer têm de se preocupar em procurar textos adequados. Os clientes perguntam-lhes se os alunos estão interessados em traduzir um texto. Em apenas um quarto dos casos, o professor tem de procurar os textos. Por vezes, os alunos recebem textos dos professores que trabalham também como tradutores independentes. Esses textos são traduzidos pelos alunos com a permissão do cliente. Para alguns professores, a procura de um texto apropriado faz parte do projecto real de tradução, deixando, por isso, os seus alunos escolher os textos que vão traduzir.
Se os professores não conseguem encontrar o texto apropriado para o projecto, experimentam outras formas para preservar a atmosfera real. Nestes casos, o professor assume o papel de cliente e estipula os prazos que os alunos têm de ter em consideração. Por vezes os alunos até têm de pagar à pessoa que faz a revisão das traduções.


Métodos de trabalho

Aparentemente, os professores não consideram relevante o número de alunos numa sala de aula para a realização de projectos reais de tradução. O número médio de alunos por turma varia entre os 10 e os 25.

Como trabalham os alunos?

Ficámos surpreendidos ao descobrir que os alunos passam mais tempo a trabalhar nos seus projectos em casa do que nas aulas. Supomos que a razão para esta mudança se deve à falta de tempo durante o semestre.

Que tipo de recursos utilizam os alunos nas suas traduções?

Em qualquer aula de tradução, a Internet parece desempenhar o papel principal, seguida dos dicionários. Textos de referência são também utilizados regularmente. Em alguns casos, os alunos também consultam tradutores profissionais ou o cliente. Os programas de tradução assistida por computador são de menor importância.


Reacções

Os alunos gostam deste tipo de projectos?

De acordo com os professores, todos os alunos, sem excepção, parecem entusiasmados com os projectos reais de tradução. A sua motivação aumenta e estão dispostos a investir mais tempo do que na tradução de artigos de jornal que ninguém vai ler. Quando possível, os alunos estão interessados em ter aulas semelhantes nos semestres seguintes.

O que pensam os colegas dos professores entrevistados sobre este método de ensino?

Apenas um dos entrevistados referiu estar a ser criticado por propor projectos reais de tradução. Na maioria dos casos, os colegas apoiam os projectos mas não abandonam o seu próprio método de ensino.

Qual a reacção dos clientes?

Metade dos entrevistados referiu que, normalmente, os clientes gostam da ideia de serem os alunos a traduzir os seus textos, mas com a condição de o professor rever a tradução antes da entrega. 33% dos clientes, embora cépticos no início, acabaram por ficar convencidos. Os restantes 17% não se importam com quem traduz os seus textos, desde que recebam a tradução a tempo.

Como avaliam professores a sua experiência pessoal em relação aos projectos reais de tradução?

A maioria dos professores, convencidos das vantagens deste método de ensino inovador, não desistiu enquanto não conseguiu o seu primeiro projecto real de tradução. No entanto, este tipo de ensino não parece ter persistido por muito tempo, uma vez que a maioria dos entrevistados “apenas” propôs aos seus alunos entre 2 a 5 projectos reais.

Os projectos reais de tradução implicam mais trabalho para o professor?

A maioria dos professores referiu que, de facto, os projectos reais de tradução requerem mais trabalho da sua parte. Isto deve-se sobretudo ao facto de os clientes normalmente não permitirem o alongamento do prazo para uma tradução. Os professores devem planear os diferentes passos do projecto, devem coordenar os passos de forma eficaz e devem assegurar um produto final de estilo consistente. Uma vez que os clientes insistem para que o professor reveja o trabalho dos alunos, este despende mais tempo com os projectos reais de tradução em relação aos métodos tradicionais de ensino da tradução.

Apesar de alguns problemas, os professores admitem que “as vantagens ultrapassam de longe quaisquer desvantagens”. Todos os entrevistados realçaram o facto de os projectos reais de tradução aumentarem a motivação. Os alunos ficam entusiasmados e orgulhosos que o seu trabalho seja publicado e acessível a um público. Os projectos reais de tradução preparam-nos para a sua vida como tradutores profissionais. Aprendem a negociar com clientes, a trabalhar com bases de dados, a pesquisar, a cooperar com outros tradutores ou especialistas, e a lidar com a pressão do tempo. Concluímos, portanto, que os projectos reais de tradução são a melhor forma de preparar os alunos para a sua vida como profissionais.


Conclusão: os projectos reais de tradução são indispensáveis na formação de um tradutor!


Para mais informações por favor contacte-nos em:
authentic_translation_projects@hotmail.com

Clique aqui para mais informação sobre Projectos de Tradução Multilingue, que outro grupo reuniu há alguns anos atrás.