Projecto Ritschel

No início do semestre nenhum dos alunos fazia a mínima ideia do que esperar da cadeira "Tópicos Especiais acerca da Tradução Assistida por Computador - Introdução à tradução de páginas Web", leccionada por Don Kiraly. No início pensávamos que iríamos aprender estratégias acerca da tradução de páginas Web. No entanto, a cadeira revelou-se muito mais interessante, com uma vertente prática. Após poucas aulas foi-nos dito que a nossa tarefa consistia em realizar trabalhos reais para clientes reais. No total tivemos três projectos diferentes. Enquanto trabalhávamos nas traduções, aprendemos a agir como tradutores responsáveis. O primeiro projecto, "Oberkircher Winzer", necessitava apenas de ser terminado, visto que a maior parte da tradução já tinha sido feita por outro grupo durante o semestre anterior. Todavia, a realização do segundo projecto ficou quase inteiramente ao nosso cargo. Traduzimos as páginas Web e utilizámos um editor de modo a converter as traduções para documentos HTML ( Traduções Ritschel ). Finalmente, o terceiro projecto exigiu que trabalhássemos como tradutores auto-confiantes e responsáveis.(Sistema Drausy ).

Os três projectos tinham sido inicialmente entregues a Don Kiraly, que os passou à turma. O segundo projecto consistia em traduzir as páginas Web alemãs de Martin Ritschel para inglês. Martin Ritschel é um tradutor que se formou na Escola de Linguística Aplicada e Estudos Culturais aqui em Germersheim. Neste sítio Web, ele apresenta a sua pequena agência de tradução a potenciais clientes. Don supervisionou o projecto com o apoio de Andrea Dannäuser. Ele fez a revisão das nossas traduções e ajudou-nos com a organização. Ou seja, ainda não tínhamos total responsabilidade pelo nosso trabalho.

Inicialmente, Martin Ritschel contactou Don acerca do projecto de tradução da sua Página Inicial - mas este propôs a passagem do projecto para os alunos. Martin entusiasmou-se logo com esta ideia. Dividimos as páginas Web pelos diferentes grupos e, como o trabalho tinha de ser realizado o quanto antes, o prazo revelou-se curto. Depois de nos familiarizarmos com o trabalho, rapidamente nos apercebemos que teríamos de nos apressar para cumprir o prazo de entrega - um dos problemas que encontrámos consistiu em pequenos erros na formatação e ortografia que teriam de ser corrigidos antes de entregar a versão final. Apesar de não termos sido remunerados pelo trabalho, tivemos de o encarar mais seriamente do que as nossas aulas de tradução normais. Afinal, a nossa tradução iria ser publicada na Internet.

Visto que Martin sabia que a sua Página Inicial iria ser traduzida por alunos, teríamos a possibilidade de o contactar via e-mail caso surgisse alguma dúvida. Ele ajudou-nos essencialmente com passagens difíceis, sugerindo traduções possíveis.

Como já foi mencionado, não fomos remunerados pelo trabalho. Mas mesmo que tivéssemos recebido dinheiro, como recebemos pelos outros dois projectos, tê-lo-íamos doado para caridade. Afinal, não era no dinheiro que estávamos interessados, mas sim na possibilidade de experimentar as condições de trabalho reais de um tradutor.


Página Inicial