Qual a importância de aprender línguas estrangeiras e qual a competência do tradutor?



Esta situação típica de aula pode parecer-lhe familiar: decora-se o vocabulário que mais tarde se manipula aplicando regras gramaticais específicas, que também têm de ser estudadas. Muitos professores estão de acordo com este método, pois, desta forma, os alunos que possuem conhecimentos básicos de uma determinada língua podem iniciar os estudos na universidade.

Todavia, se a escolha não recair no estudo das línguas que habitualmente se leccionam na escola, mas em línguas como o português, o árabe, o chinês e o holandês, não é isso que se verifica na realidade. Nestes casos, participamos num curso básico da língua específica com o objectivo de nos tornarmos tradutores competentes. Mas qual o significado de «competente»? A competência do tradutor envolve o domínio da língua estrangeira e da língua mãe, a compreensão daquilo que tem que ser traduzido (competência especializada) e a capacidade de transferir o sentido de uma língua para outra. De acordo com Pym (citado em Kiraly, «Why...», 19) esta competência inclui as duas seguintes componentes:


Se aplicar o método tradicional para o ensino de vocabulário e de gramática à tradução profissional, pode surgir a seguinte questão: será que a estrita aprendizagem por repetição de palavras faz sentido? Pode dar a impressão de que cada palavra na língua de partida tem um significado específico na língua de chegada e vice-versa. Contudo, deste modo corre-se o risco de se fazer uma tradução palavra a palavra que, na maior parte das vezes, é insatisfatória e frequentemente produz uma tradução não adequada. Por exemplo, as pessoas educadas num ambiente bilingue que não têm formação em tradução nunca traduziriam um texto palavra a palavra. Têm tendência para reformular as frases da forma como as aprenderam na língua de chegada.


Numa entrevista, perguntámos a três tradutores profissionais como é que adquiriram o domínio de uma língua estrangeira e a sua competência de tradutor.


A tradução está intimamente ligada à comunicação na língua estrangeira. Desta forma, os tradutores necessitam não só de um bom domínio teórico da língua em questão, mas também de saber como aplicar este conhecimento numa situação comunicativa. Os tradutores devem adquirir uma compreensão clara e precisa para traduzir um texto de uma forma competente e aceitável.


Para mais informação: