Aprendizagem de línguas: uma brincadeira de crianças?



Quando uma criança aprende a sua língua materna, o seu objectivo é utilizá-la fluentemente. Isto também se aplica aos alunos que utilizam o Método Natural numa aula. O objectivo é desenvolver competências de comunicação.
Para uma criança, o processo de aprendizagem é feito ao nível do subconsciente. Uma criança adquire as competências de comunicação não através da aprendizagem de regras gramaticais mas passo a passo, através da audição e compreensão. O Método Natural de aquisição das competências linguísticas foi criado pelos linguistas Tracy D. Terrell e Stephen Krashen nos finais do século XX e é baseado na "forma natural" de adquirir a língua. O Método Natural é a capacidade de distinguir entre a aprendizagem de sentido tradicional e a aquisição da língua, incidindo nos instintos naturais (como, por exemplo, naquilo que uma criança faz).

O Método Natural baseia-se nestes cinco princípios:
1. O objectivo do Método Natural é criar a competência comunicativa e não a perfeição gramatical.

2. No início da aula, dá-se ênfase à audição. O professor apresenta aos alunos uma variedade de material de fácil compreensão (entrada). Estas informações encontram-se sempre a um nível acima da competência comunicativa dos alunos. Desta forma, os alunos desenvolvem a capacidade de falar a língua estrangeira. A competência numa língua não pode ser aprendida mas sim adquirida. Na aula o professor não deve, de forma alguma, utilizar a língua materna dos alunos.

3. A produção da fala, como resposta à audição, desenvolve-se segundo várias etapas:



No início do processo de aquisição da língua, os alunos falam sem correcção gramatical. Lentamente, devido à recepção e produção adicional, a sua capacidade de comunicação verbal melhora. Na aula, os erros gramaticais que não afectam o processo comunicativo não são corrigidos.

4.As actividades que realçam o processo de aquisição da linguagem são o objectivo principal da aula (entrada). Os exercícios gramaticais não são a prioridade. Os exercícios dependem quer da idade quer da receptividade dos alunos. Para os adultos, a proporção de exercícios gramaticais é de 20 para 80 por cento. Esta parte da aprendizagem consciente serve como orientação, ajudando os alunos a verificar os erros gramaticais naquilo que dizem e naquilo que escrevem. Nas aulas, não se espera que os alunos utilizem essa função consciente.

5. A noção de filtro afectivo é particularmente útil. A intenção é manter este filtro o mais pequeno possível, para obter melhores resultados. Por outras palavras, quanto menor a pressão a que um estudante estiver sujeito, mais pequeno será o filtro afectivo. Isto consegue-se cativando a atenção dos estudantes nos assuntos que lhes interessam, os assuntos com os quais se identificam e acerca dos quais sejam capazes de partilhar opiniões. O filtro afectivo mantém-se pequeno porque nenhum estudante é obrigado a falar na língua estrangeira. Isto cria na sala de aula um ambiente propício à aprendizagem de uma língua estrangeira.

Hoje em dia, acredita-se que saber as regras gramaticais de uma língua estrangeira é o prérequisito para o desenvolvimento das capacidades comunicativas. Numa aula sobre o Método Natural, os alunos expressam a sua opinião sobre uma determinada situação partilhando as suas ideias. Para estes alunos, a língua estrangeira é uma ferramenta para a comunicação.

Para mais informações sobre o Método Natural :

        Krashen, S. und Terrell, T. The Natural Approach. Language Acquisition in the classroom Hayward: Alemany Press, 1983.

        Tschirner, Erwin, Spracherwerb im Unterricht: Der Natural Approach in: Fremdsprachen lehren und lernen 25 (1996), 50-69.

        Mais informações na Internet: The Natural Approach - what is it?